Festa do Livro

Festa do Livro
Seja bem-vindo.
Neste blog daremos conta das nossas actividades, palestras, exposições, etc.

Visite-nos e comente, sempre que lhe aprouver.

sábado, 28 de março de 2015

Na cidade de Lisboa com Fernando Namora, Fernando Pessoa e com Sophia de Mello Breyner Andresen

Um encontro com três escritores da literatura portuguesa, num
dia longo, preenchido, intenso, dedicado à literatura e em sentido mais lato à cultura portuguesa.
Começamos por recordar Fernando Namora, através do roteiro dos cafés literários na baixa de Lisboa.
A guia cultural Elisabete Rocha, um apoio dos serviços culturais e sociais da Câmara de Lisboa, enriqueceu o nosso conhecimento literário, histórico e arquitectónico ao longo do percurso de alguns cafés no Rossio, e lembrando os que em tempos foram locais de encontro dos homens de letras...

 A emotiva homenagem à Sophia de Mello Breyner Andresen, poeta como gostava de ser chamada, aconteceu no Panteão Nacional com a leitura de alguns poemas.
Lembramos aqui o belissimo poema da sua autoria

O Mar dos olhos

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma

(poema de Sophia de Mello Breyner Andresen)


Terminamos este dia com a visita apaixonadamente guiada por Mónica Almeida na Casa Museu Fernando Pessoa, descobrindo a riqueza do escritor de quem até ao momento se conhecem 136 heterónimos.

Um encontro que também serviu para proporcionar o convívio entre as comunidades de leitores: "Chá com Letras" da Biblioteca Municipal de Cerveira, "Palavras com Chá" da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha e o Clube de Leitura "Livros e Chá" da Bilbioteca Municipal de Valença, grupos de leitura orientados pela Profª. Maria José Areal, cujo saber e entusiasmo é o impulsionador da criação destes momentos, a quem agradecemos a dedicação e todo o empenho que voluntaramente oferece à promoção da leitura e ao convívio cultural em volta da literatura portuguesa. Aos grupos de leitura juntaram-se ainda algumas pessoas que cultivam o gosto pela literatura portuguesa.


Reportagem fotográfica de José Ferreira







segunda-feira, 16 de março de 2015

Hora do conto "Pê de Pai"



No sábado 14 de Março a hora do conto baseou-se no belíssimo livro "Pê de Pai" de Isabel Minhós com ilustrações de Bernardo Carvalho, da Editora Planeta Tangerina.
Este livro retrata a cumplicidade que existe entre pai e filho.
O pai é sempre uma pessoa muito especial e consegue transformar-me em múltiplos objetos:

Pai casaco, pai avião,
pai cabide, pai travão,

pai grua, pai tractor,
pai sofá, pai motor,

pai esconderijo, pai colchão,
pai bóia, pai esfregão,

pai chocolate, pai seta,
pai cofre, pai meta,

pai ambulância, pai despertador,
pai escadote, pai doutor,

pai carrossel, pai cavalinho,
pai túnel, pai pequenino!

A atividade contou com um jogo de adivinhas e a elaboração de uma sapatilha recheada com a história.




















sexta-feira, 13 de março de 2015

Tertúlia ao Serão

O Dia Internacional da Mulher, comemorado no passado dia oito de Março, foi o tema escolhido para esta sessão de 12 de Março.

Com vários filmes, narrativas, ditos e músicas, abordamos este tema tão importante na conquista da igualdade entre géneros. Demonstramos como a mulher tem vindo a conquistar, ao longo dos tempos, o seu lugar não menos importante na nossa sociedade, através das suas lutas diárias.

A tertúlia esteve muito animada e até um poema foi dito e uma música foi cantada à capela, por dois dos nossos participantes aos quais muito agradecemos.

Dois pontos altos desta sessão: depois de muitos elogios às mulheres e para animar um pouco a sessão, nada melhor que dizer "Só para irritar as mulheres" de vários autores, só para as pôr a ferver! Depois, para pôr água na fervura, foi dito e acompanhado à viola, o grande poema "Calçada de Carriche" de António Gedeão.

Como podem imaginar pelas fotos que aqui apresentamos, foi mais uma tertúlia bem animada e muito participativa na tarde de ontem.
Mais uma vez, obrigado a todos e até uma próxima vez.










quinta-feira, 12 de março de 2015

Hora do Conto "Rosa, a ratinha gulosa"



No sábado, 07 de Março, exploramos a história “Rosa, a ratinha gulosa", dos autores Ariane Chottin e Malgorzata Dzierzowska.
Este livro, conta-nos a história de uma ratinha chamada Rosa, que roía tudo, sem se importar com o gato vilão… e comilão.

Uma história para conhecer e amar os animais.