Festa do Livro

Festa do Livro
Seja bem-vindo.
Neste blog daremos conta das nossas actividades, palestras, exposições, etc.

Visite-nos e comente, sempre que lhe aprouver.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Comunidade de leitores em "Terras do Demo" homenageia Aquilino Ribeiro


As tertúlias da nossa comunidade de leitores não se esgotam nas sessões de leitura, nas partilhas à volta dos autores que vamos descobrindo nos nossos encontros, praticamente semanais, com algumas excepções e interrupções festivas ou para férias de Verão. Às quintas-feiras, das 16h às 17h30, na Biblioteca Municipal, partilhamos leituras que vão do conto à novela ou romance, da prosa à poesia, da biografia à crónica...sempre com o objectivo de descobrir autores de língua portuguesa. Mas, o nosso amadurecimento enquanto grupo que partilha leituras e saberes prolonga-se nas actividades "fora de portas". Sempre a propósito de determinado livro ou escritor organizamos a viagem, contactamos com as instituições oportunas e lá vamos nós enriquecer os conhecimentos já adquiridos, descobrir paisagens, aldeias, vilas e cidades, espaços de intimidade dos autores que estamos a ler...

 No Sábado, 13 de Julho de 2013, Aquilino Ribeiro levou-nos a sentir as "Terras do Demo". Com destino a Soutosa (Moimenta da Beira) deslocamo-nos 33 pessoas para conhecer a sua Fundação e Casa-Museu, o denominado pelo Pátio de Aquilino, no Carregal (onde se encontra a casa que o viu nascer), passando pelo Santuário de Nossa Senhora da Lapa, onde se encontra o Colégio que lhe proporcionou estudos, para terminar no luxuriante Parque Botânico "Arbutus do Demo", em Vila Nova de Paiva, que Aquilino denominou de "Um Oásis no Deserto...", "um jardim de Éden em Terras do Demo". Pelo caminho atravessamos paisagens únicas das encostas do Douro e fomos acolhidos pela gentileza e simpatia das suas gentes.

Em Sernancelhe fomos guiados  por Fátima Lopes e Carla Caria que nos acompanharam pelas ruas da Vila até à Biblioteca Municipal e Igreja Românica de Sernancelhe, onde fomos recebidos pela sabedoria contagiante de Monsenhor Cândido de Azevedo...
no parque botânico "Arbutus do demo", infelizmente já com o tempo reduzido, fomos recebidos por Alexandra Campos, numa visita um pouco mais rápida para a nossa vontade mas igualmente reconfortante, quer pelo acolhimento que tivemos quer pela frescura e encanto  da natureza, um projecto exemplar da capacidade humana para cuidar com conhecimento e sensibilidade o que a natureza nos oferece... estes são apenas alguns apontamentos de um dia preenchido de tudo um pouco. Estivemos mais próximos de Aquilino, sentimos a sua terra, o património arquitectónico, natural e humano, conversamos muito e almoçamos bem!...

Esta foi mais uma actividade promovida pela comunidade de leitores da Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira, com a orientação da responsável pela preparação de todas as nossas sessões de leitura, a voluntária Maria José Areal, que criteriosamente desenha o programa de leitura com a participação do grupo que constituiu esta comunidade. Como tem sido habitual, juntaram-se também nesta actividade externa elementos das comunidades de leitores da Universidade Sénior de Caminha e do Centro de Cultura de Campos, bem como a participação de público eventual interessado em descobrir a vida de Aquilino Ribeiro, numa visita cultural que nos preenche sempre a alma! Habitualmente, as inscrições para participar nestas iniciativas são abertas ao público geral, limitadas à lotação do transporte, uma vez mais facultado pelo Município de Vila Nova de Cerveira.

O programa de actividades dedicado a Aquilino Ribeiro (1885-1963) cuja leitura coincidiu com o ano da Comemoração do Cinquentenário da sua morte, será encerrado no dia 19 de Setembro, com a deslocação ao Concelho de Paredes de Coura, para conhecer "A Casa Grande de Romarigães" e vivenciar alguns dos locais por onde Aquilino se movimentou e conviveu nesta vila do Minho.

Aproveitamos para convidar todos aqueles que sintam vontade de aprofundar o seu conhecimento de literatura portuguesa a integrar esta comunidade de leitores "Chá com letras". No final dos nossos encontros há sempre um momento de tertúlia sobre os textos e autores tratados na sessão, acompanhados por um chá...

A todas as entidades que tornaram possível este dia, colaborando connosco na sua organização, e todos aqueles que partilharam connosco o seu tempo e conhecimento, o nosso agradecimento. Bem hajam!


 
Reportagem fotográfica de José Ferreira



3 comentários:

  1. Os participantes podem dizer que está aqui tudo. As fotos, podem ajudar a mais tarde recordar. Mas na memória ficam ainda pormenores únicos,indescritíveis, só vivendo estas viagens. Fico grato pela possibilidade de as viver e descobrir estas maravilhas. De outra forma nunca as conheceria. Parabéns a todos os organizadores.

    ResponderEliminar
  2. Como sabe bem recordar este roteiro "Aquiliniano" lá para as suas "Terras do Demo".As suas gentes, as suas paisagens, o encontro no desenho das palavras de Aquilino que dão forma à forma de um "modus vivendi" espescífico, todo tecido com panos de tantas cores.
    De tudo o que visitamos, como nos dá conta o texto inicial, eu de forma particular, corria no desejo do encontro do Pátio da casa que o viu nascer. Nesse pátio, onde a sua mãe lhe dava de mamar, na ausência do pai (que sendo Padre) ausente estava. Aí vi Aquilino crescer no porte, na forma firme e audaz com que desafiava o poder, na telúrica corrida na vida e na voz do seu povo que cantou, eternizou ("Malhadinhas" e fez saber ao outro mundo.
    De tudo o que vi sei que senti cada palavra sua, cada gesto e cada denûncia. Também senti que as gentes das Terras do Demo, são simpáticas no acolhimento e sobretudo, demonstam um amor incondicional à terra que as viu nascer. Falam das suas coisas com encanto/entusiasmo e procuram que os que lá vão se sintam parte integrante e se possível, deixem lá o seu coração.
    Neste Roteiro dei o que sei, procurando que o grupo estivesse integrado no grande objectivo da viagem. Elaboramos um desdobravel,contendo as informações consideradas pertinentes no saber do autor. (obra, bibliografia,e outros apontamentos)Deste modo, e mesmo que nunca tivessem "encontrado Aquilino", na chegada às Terras do Demo, estariam mais confortáveis.
    Um convite aqui deixo: Participem no "Chá com Letras". Vão gostar, acreditem. É que saber dos autores portugueses é saber de cada um de nós.
    MAria José Areal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo sentido testemunho.
      Não me lembrei de publicar o folheto que nos preparou com tanto carinho, para esta viagem por terras de Aquilino, mas vou corrigir esta falta.
      Grata também pela partilha de saber e disponibilidade incondicional que tem dedicado a esta comunidade de leitores.
      Teresa Matos

      Eliminar